A pessoa do Fundador.

Atualizado: 24 de Jan de 2020

Esse texto tem como objetivo abordar a pessoa do Fundador e as implicações dessas missão a luz da passagem bíblica do Bom Pastor.



Antes de falar especificamente sobre a pessoa do Fundador, é necessário fazer uma pergunta: Quem é o Fundador?

Segundo o Pe. Wagner Ferreira formador da Comunidade Canção Nova, o Fundador é uma pessoa que recebe de Deus um Dom particular conhecido como Carisma de Fundação. Esse Carisma Fundacional é o coração de toda obra, é por meio dele que ela passa a existir e atrair pessoas a si. "Numa nova comunidade desse tipo, a natureza do carisma dirige as energias, sustenta a fidelidade e orienta o trabalho apostólico de todos para uma única missão". ( VC, p. 87, n.45)

Portanto, só existe a pessoa do Fundador por conta do Carisma Fundacional, ele se torna o primeiro portador e promulgador do Carisma no mundo, sendo um portador autêntico do Carisma atrai para Comunidade pessoas que durante a sua vida já desejavam vivê-lo, só ainda não tinha-o encontrado.

" O Carisma é uma espécie de via que conduz a Cristo e por meio do qual o Espírito desenvolve, seja na pessoa do Fundador ou em seus seguidores, uma dupla função eclesial: Uma primeira de natureza santificante, pela qual o Espírito conforma o fiel a Cristo através do caminho pessoal de santificação; uma segunda de natureza iluminadora, ou seja, o Espírito, por meio do carisma, comunica ao Fundador, e , por este, aos seguidores, uma particular compreensão do mistério de Cristo e da Igreja". ( FERREIRA, 2011, p.72)

O Fundador assumindo essa missão fundacional, assemelha-se a pessoa do Bom Pastor, que aceita a função de liderar e cuidar de um grupo de ovelhas, e juntamente com essa função surge outras obrigações como alimentar, instruir, corrigir, consolar e buscá-las a onde for necessário.

O Papa Emérito Bento XVI em seu livro Jesus de Nazaré, ao explicar a passagem do Bom Pastor, afirma que a palavra conhecer tem um duplo significado, além de significar conhecimento também exerce o sentido de pertencimento. Então quando o Evangelista joão diz: "Eu sou bom pastor e conheço a minhas ovelhas", nesse momento está afirmando que o Bom Pastor conhece e pertence intimamente as suas ovelhas. No entanto, quando o mesmo Evangelista alguns versículos depois diz: [....] "as minhas ovelhas também me conhecem", Bento XVI afirma que nesse momento o termo a se considerar preferencialmente é pertencimento. Portanto, há um duplo pertencimento, o Bom Pastor conhece e pertence as ovelhas, e as ovelhas que por fazerem parte do rebanho conhecem e pertencem ao Bom Pastor.

A tradição da Igreja vai fazer referência do Bom Pastor ao sacerdócio, e de fato eles são aqueles que cuidam e conduzem todo o povo para junto de Deus e com todo mérito recebem esse título por excelência, mas nesse momento gostaria de trazer uma nova reflexão, sem tirar a importância e o direito Sacerdotal. Gostaria de convidar a você leitor, a incluir nessa perspectiva a pessoa do Fundador, ele ao assumir a missão Fundacional, também assume essa missão de cuidar e zelar por um determinado povo que esta sobre o seu pequeno redil que é o Carisma e consequentemente a Nova Comunidade ou a Nova Fundação ao qual se tornou responsável.

A partir da vivência do Carisma Fundacional ( Originário), o Fundador assume uma missão de paternidade na fé, se o Carisma é uma via que conduz os adeptos a Cristo, o Fundador sendo o portador por excelência desse Carisma aqui na terra, se torna instrumento nas mãos de Deus para instruir o povo que decidiu viver essa mesma experiência de fé. "Pela sua natureza, os carismas são comunicativos e fazem nascer aquela "afinidade espiritual entre as pessoas" e aquela amizade em Cristo que dá origem aos movimentos". A passagem do Carisma Originário ao movimento ocorre pela misteriosa atração exercida pelo Fundador sobre aqueles que se deixam envolver na sua experiência espiritual". ( FERREIRA, 2011, p.74)

Essa paternidade espiritual é resultado da natureza comunicativa do Carisma, pois, de forma natural se comunica com aquelas pessoas que se sentem atraídas a viver a experiência proposta pelo carisma. O sim a vivência dessa proposta de vida por meio desse Carisma particular resulta na filiação ao Carisma Fundacional e consequentemente a pessoa do Fundador.

Diante disso é importante deixar claro que o Fundador não é uma espécie de guru, não é um ser divino, não é um santo imaculado, mas é uma pessoa que teve uma experiência profunda com Deus e a partir dessa experiência entendeu a sua vocação, e a missão que Deus o incumbiu a realizar, promulgar um Carisma que tem como objetivo servir a Santa Igreja Cristo.



Autor: Lenilson de Oliveira Bezerril - Fundador da Comunidade Missionária Envia-me.


#Fundador #Novascomunidades #Bompastor


Referência bibliográfica:


FERREIRA, Pe. Wagner. As novas Comunidades no contexto sociocultural contemporâneo. 1. Ed. São Paulo: Canção Nova, 2011.

PAULO II, João. Exortação Apostólica Pós- Sinodal Vita Consecrata do Santo Padre João Paulo II: Sobre a Vida Consagrada e sua Missão na Igreja e no Mundo. 6. Ed. São Paulo: Paulinas, 2009.

RATZINGER, Joseph. Jesus de Nazaré: Do batismo no Jordão à transfiguração. 2. Ed. São Paulo: Planeta, 2016.

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil: Igreja Particular, Movimentos Eclesiais e Novas Comunidades. 1. Ed. Brasília: CNBB, 2009.


182 visualizações0 comentário